segunda-feira, 10 de dezembro de 2007


Gestos perfeitos acontecem no silêncio. A melodia da ternura preenche todos os hiatos que as palavras desperdiçam. As palavras que são ditas ou que ficam por dizer, as palavras que nascem já feitas de morrer…

Não há mais que nada em tudo o que é nada mais que tudo. Assim é-se maior, é-se ardente e escrevem-se as páginas alvas do livro da intimidade.

A roda que gira, que vai, que avança em seu movimento perpétuo, jamais se cansa. Sente-se o excesso vibrante dos sentimentos nas partículas de vida. Suave e intensa acontece esta hora arrastada pelos princípios do prazer. O silêncio é uma tentação, nele é-se inteiramente humano a respirar o músculo da vida, força colossal de existir. Somos sangue fervilhante escondidos na candura de um olhar.

Silêncio! É tempo de viver!

10 comentários:

Olhos de mel disse...

João, esse é um momento ímpar. Palavras ditas, ou não ditas, falam mais que qualquer coisa nessa hora. Até porque o corpo fala, o coração pulsa, olhares que se cruzam...
Lindo demais!
Beijos

storytellers disse...

O silêncio também é uma forma de comunicação num contexto apropriado, claro.

beijinhos

poeta_silente disse...

Oi.
Obrigada pela visita e pelas palavras que lá deixaste.
Tantos silêncios, João! Tantas alavras e notícias que não são dadas... este silêncio é um silêncio de dor.
Mas... temos o silêncio do AMOR. Aquele onde somente o brilho dos olhos ou o movimento dos corpos falam entre si...
Temos silêncios variados... pois... Deixo, aqui, o endereço de um texto que diz sobre o silêncio.
Digressão pelo mundo do silêncio

http://paginas.terra.com.br/arte/promopel/cronicas/silencio.html

poeta_silente disse...

Oi!
tentei excluir o comentário pois o link não é aceito para abrir em outra página, mas não consegui apagar.
Mas deixo a confirmação de que vi o problema do link. Para veres, procura copiar e colar direto no Browser.
Deus te abençoe.
Miriam

lamia disse...

Os silêncios, quando não são enganadores (que também os há), exprimem com toda a exactidão aquilo que as palavras desconhecem. Mesmo as palavras arremessadas. Mesmo as que se afundam.

Olhos de mel disse...

Oie meu amigo! Passando para lhe desejar um Feliz Natal e um Feliz Ano Novo!
Beijos

Olhos de mel disse...

Oie João! Que 2008 seja de muita luz, muita paz, saúde e prosperidade! Que Deus abençoe seu lar e família!
Beijos

adam brown disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Renata Maria disse...

Que sejamos sempre excessivamente vibrantes em sentimentos e vivamos intensamente todos os segundos das nossas partículas de vida...
Lindo, poeta!
Bj grande!

farfalla disse...

passei por aqui e não consegui evitar o comentário, Parabéns. está muito bom.

_baci_